sexta-feira, 21 de março de 2014

Aprendendo com Pai Thomas


Aprendendo com Pai Thomas
Thomas quando criança foi perturbado por ser muito branco, antes foi por ser muito preto. Thomas continuou macumbeiro, Thomas apanhou quando foi “timido” tanto preto quanto branco, agora que perdeu a “timidez” ele quer “bater” em todo mundo.
Mudou o filme?
Não, o mesmo filme, repetido n vezes.
Espiritismo - coisa de branco rico
Macumba - coisa de preto pobre

Thomas antes foi preto no espiritismo e agora é branco na macumba.

Mudou o filme?

Não, o mesmo filme, repetido n vezes.

psicografei - preocupou com imagem esqueceu mensagem apanha


Música Celestial



Música gospel tradicional, White Metal e Black Metal, tirei o profano delas e coloquei só o sagrado.

“I will burn your soul in the land of night”

“Burn the bridge”

“All enemy is necessary”

“No pitty for a coward”

“Kill Them All”

“Show no mercy for your soul”

“Love unforgiven”

Uma dessas bandas é de Black Metal, consegue identificar qual é?

Apegou a imagem esqueceu a mensagem apanha.

I'm alone, follow me !
Calling you, follow me !
I'm alone, follow me !
Follow me
Follow me it's my time
Follow me
Follow the Blind

Música Follow The Blind, a favorita do Thomas da banda Blind Guardian. Durante sua vida muitos o chamaram de alienado (cego) por se apegar a fantasia por diversos motivos desde o seu apreço a música, a sua fé e o seu gosto por histórias fantásticas. Naquela hora ele precisou apanhar, apanhou.

Apegou a imagem esqueceu a mensagem apanha.

Ps: A “letra satânica” das listadas foi a última.

Quer ser cavaleiro à serviço de *
Knight In The "Satan" Service
KISS

Em tão se prepara porque as vezes você vai precisar ser o "feiinho".

psicografei - preocupou com imagem esqueceu a mensagem apanha

ESTAR EM TODO LUGAR É ESTAR EM TODO LUGAR, PORRA!!
NÃO SÓ NAQUELES QUE LHE CONVÉM!!
SE PREOCUPA COM IMAGEM ESQUECEU A MENSAGEM APANHA!!

Planetary diz o quê? - O mundo é movido por informação.
Entendeu? Prêmio
Só ficou fissurado no desenho e comprou várias edições de Planetary sem entender nada?
Idolatria, só se preocupou com a imagem, apanha!

SE PREOCUPA COM IMAGEM ESQUECEU A MENSAGEM APANHA!!

Sua besta, arrombado do caralho!

Ficou ofendido com o palavrão?

SE PREOCUPA COM IMAGEM ESQUECEU A MENSAGEM APANHA!!

psicografei - preocupou com imagem esqueceu a mensagem apanha


Agora iremos entender porque Thomas tem uma fé cega, olha o diabo da ambiguidade de novo.
Hellboy – tem tudo para dar errado, mas deu certo.
Harry Potter – o garoto que sobreviveu
Herbie – o fodido que se supera.
Mortal Kombat – mistura de heavy metal com cultura oriental
Silent Hill – o pesadelo é no mesmo mundo que o nosso
X-men – realidades alternativas
Desde pequeno Thomas gosta de contar história. No início com desenho, depois com rpg maker e depois de fanfic. Ele não sabia, mas isso é louvor.
“Timidez”, querer ser outra pessoa que é idealizada é idolatria. Apanha!
Qual foi a porrada que Thomas levou e qual foi o afago? O mesmo.
A diferença foi que em um momento ele estava preparado em outro não. Um pouco antes de ter sua descoberta, acensão, apoteose… Thomas passou a ter sonhos bem vividos. Lúcidos. Qual a diferença de sonho e realidade? Nenhuma. Qual a diferença entre pesadelo e realidade? Nenhuma. Qual a diferença de vida ou morte? Nenhuma. Qual a diferença entre bem e mau? Nenhuma.
Tudo “depende”.
Por isso é bom ter uma fé cega.
Fé cega é não se preocupar com a imagem, o ato, e sim com a mensagem.
Fé com “razão” também pode ser idolatria. Muda a palavra, mas no fim é tudo a mesma merda.
“People equal shit” – Slipknot.
Quando o ser humano morre ele vira o quê?
Pó dourado? Não! Vira adubo! Merda! Se preocupou com a imagem, esqueceu a mensagem? Apanha!
Vampiro quando morre vira merda? Como vimos em Buffy não, vira um pó inodoro. Em resident evil os zumbis viram pó dourado.
Esqueceu a mensagem, se preocupou com a imagem, apanha!
Entendeu o que é “justiça divina” e “justiça dos homens”?
Ps: um dos “demoníacos slipknot” usa uma coroa de espinhos. Cuidado com quem você aponta o dedo para xingar. Depois quando a porrada volta fica botando a culpa no diabo. Sem saber que os dois são o mesmo.
Nem sempre o bom tem que ser “bonitinho”, as vezes é preciso ser “feiinho”.
Quer ver só demônio, então veja. Quem vai apanhar não sou eu.

psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


Deuses Entre Nós



Deus é o criador, nós temos o poder de criar, somos mortais e imortais. É para entender a mensagem, se si prender a imagem, é idolatria. Apanha!

Uma aula pratica analisando Thomas e suas histórias “ficticias”. Para começar esse relato aqui era para ser ficção, pensava ele. Ele queria só chutar o balde e brincar com realidades alternativas, não entendendo ele que a realidade alternativa que criava era para ele mesmo não dos seus personagens.

Entenda a mensagem, se se prender na imagem, é idolatria. Apanha!

Qual o problema principal de Marcos Mignola? Saber se está louco ou se seus poderes são reais, certo? Ao desenvolver o personagem Thomas acabou desenvolvendo a si mesmo. Ele é Marcos Mignola mas não é.

Quem leu, sabe. Quem tira Marcos Mignola do manicômio? Só os bonzinhos? Não! - Chame todo mundo! - Diz o seu guia espiritual. Thomas nunca foi a um manicômio, mas isso é uma imagem, se si prender a imagem esquece a mensagem. Apanha!

Vocês já viram o nome Mignola antes? Mignola vem de Mike Mignola, o autor de Hellboy. Thomas escolheu um nome “por acaso”. O que é o Hellboy? Aquele que tem tudo para dar errado e dá certo.

Outro personagem que Thomas gosta muito é Constantine. Se vocês prestarem atenção o Marcos Mignola é um Constantine no espiritismo. Só que ao desenvolver o personagem Thomas foi descobrindo que os dois na verdade eram um só. Thomas quando pirralho chegou a sonhar ser o Constantine. Olha só o que deu. Apanhou? Apanhou, mas recompensou. Não sonhar nada dá merda, é se prender a imagem. Apanha!

Qual o maior temor de Constantine? A loucura.
Qual o maior temor de Thomas? A loucura
Thomas já sonhou ser o Harry Potter quando pirralho. O que o Potter faz? Magia. O que Thomas faz? Magia yoruba.

Thomas teve seus momentos de duvida. Quase desistindo da macumba, só começando a acreditar quando incorporou. Com experiência prática não tem trelele. Contra fatos não há argumentos. Thomas nunca teve molejo, foi o santo pegar e isso mudou. Ps: não sei se notaram, mas na macumba a dança imita a natureza, os animais. No kung fu a luta imita os animais. O que atraiu Thomas mesmo em Grimm? O que atraiu Thomas ao Mortal Kombat?

Esqueça a imagem Constantine, e se atenha a sua mensagem “céu e inferno estão no mesmo lugar”. Ele disse isso à Thomas que está digitando aqui.

“A verdade está lá fora”.

Deuses Entre Nós. Deus é criador. Criador de histórias. Deus é escritor, é programador. Ele não se preocupa com a imagem, que é o livro ou o computador, é com a mensagem, a programação. Thomas é o quê mesmo? Ah, ele trabalha com informática profissionalmente e na escrita de “brincadeira”.

Por que Thomas sempre foi atraído pelo gênero herói sobrenatural?

Já notou que em Constantine os anjos são tão filhos da puta quanto os demônios? É por que são iguais! Quem se atem a imagem, na idolatria, acha que o filme é pernicioso. Quem enxerga a mensagem louva!

Thomas criou um personagem que era um moribundo que é visitado por um anjo que queria contratá-lo para trabalhar para o céu. Ninguém entendeu a história que ele postou no site, pois todos eram idolatras. Por estarem tão acostumados a ver só demônio querer contratar gente através de pacto eles não entenderam a história. O enredo é bobo. O moribundo diz que não quer fazer pacto com o diabo. O engravatado diz “eu sou da concorrência”. Quem é a concorrência? É o céu, né? Ele é um anjo! Pronto! Mesmo assim ninguém entendeu! Idolatras! Apanha!

Lucifer na revista dele da Vertigo diz: não se atenha aos detalhes, mas sim nas entrelinhas. “Mensagem subliminar” mais clara impossível, não há nada escondido, ele falou, é mensagem, mas não, só querem encrencar por causa de um símbolo bobo que tem zilhões de significados que aparece no cantinho da página não sei qual. Idolatras! Apanha!

O pastor que engana a pobre ovelha está fazendo um inocente sofrer? Não! Não entendeu a mensagem, se apegou a imagem, é idolatria, feiticharia (poder com objeto)! Apanha!

Quem vence o jogo é quem entende as regras não é quem é o mais bonzinho! Constantine é bonzinho?! Não! Ele é ambíguo! Os melhores heróis são assim! Aí vem o moralista e diz: é incentivo ao mau. Idolatria! Apanha! O importante é a mensagem! Por que Constantine consegue mesmo sem poderes enganar todo mundo?! Ele solta raios? Qual é a magia dele? É a esperteza! Ele não é ruim! Ele é esperto! Ele é fraco e derrota os gigantes. Já viu isso antes? Mudou a imagem, mas permaneceu a mensagem. Reclama da imagem, é porque se apega a ela, não compreendeu a mensagem. É idolatria! Apanha!

Por que as pessoas acham depressivo patético? Por que são os mais perdidos no jogo. Depressivo quer ser bonzinho para atrair e acabam afastando. Estão apanhando por que precisam aprender a não se prender na imagem e sim na mensagem.

Só em descobrir que o mundo não é tão injusto quanto se pensa se sente uma leveza, certo? Pronto! Um pedaço do paraíso. Anjinho, nuvem, harpa... Isso é imagem! É idolatria! Se atenha a mensagem, se não apanha!

Assim que Thomas teve sua “revelação” ele teve crises de riso que pensara ser motivada por uma piada.

Um pedaço do paraíso.

Thomas criou um personagem chamado Maximus que se apaixona por uma elfa. A elfa fala em seus ouvidos o segredo da imortalidade e o personagem que não era ele mas era responde:

- Só isso?! Como ninguém pensou nisso antes?!

psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


Super Natural



“Não existe o sobrenatural!” - Grita o ateu. Não existe mesmo, a morte é SUPER NATURAL, assim como o que ocorre depois dela.

“Só se vive uma vez!” “Se vive várias vezes!” - briga padrão entre o reencarnacionista e o ressureitista, briga idiota, eles não sabem que ambos estão corretos.

Qual a diferença de comprar um filme e assisti-lo uma vez ou assisti-lo n vezes?

“O reino de Deus é esse mundo!” - Grita o testemunha de jeová.
“O reino de Deus não é desse mundo!” - Grita o crente.
“Plano astral!” - Grita o espírita.

Tá todo mundo certo e errado ao mesmo tempo, já que físico e espiritual não tem diferença. A casa de Deus! A casa de Deus é o mundo. Não sou do mundo! Por que o mundo só pode ser do diabo? Ah, só é de Deus quando convém.

Troque a palavra Deus se ela te incomoda, natureza, universo o caralho. Tanto faz, ilusão de maya é isso. A verdade está estampada na cara de todo mundo, mas ninguém vê.

O que fala o gênero fantasia urbana? Se você acha que o principal desse gênero é ver vampiro ou demônio você está lendo errado. O certo é ver a realidade na fantasia. O gênero fala sobre mundos ocultos. Nenhum trouxa sabe que os seres mágicos existem. Nenhum vampiro do crepúsculo é de conhecimento publico

True Blood é exceção! Não! Tem muitas criaturas sobrenaturais, além dos vampiros, que são secretas. No início, por exemplo, ninguém sabe que lobisomens são reais.

Esses seriados não são de Deus, tem muito sexo, monstro e morte!

Ainda bem que na vida não tem sexo, monstro e morte, não é mesmo?

Quando você quer ver Deus em tudo isso vira um “vício”, só que esse vício é diferente de querer ver o demônio em tudo, que apesar de serem os mesmos não o são. Eu estou rindo a beça enquanto digito, o que procura o demônio tá é espumando.

- Espiritismo é coisa do Diabo! - É mesmo, Thomas foi idolatra e se sentia ofendido. Ao saber que Deus e demônio era a mesma coisa e que todas as histórias são a mesma. Thomas passou a não se incomodar mais.

Idolatria é pecado! É pecado porque se você fazer apanha! Criança desobediente apanha! Pai tem o direito de bater no filho? Tem! Pai tem o direito de matar o filho? Tem! Matar é o mesmo que vencer. Deixe o seu filho te vencer e veja no que dá. Seja “amiguinho”.

Veja realidade na fantasia, não o contrário. Você não vai conseguir parar. Ninguém mais vai te dominar. Não era timidez. Era isso. Não saber.

Ninguém é amiguinho. É um jogo.

Game of Thrones – Game of Life

A coroa do vitorioso em um dos pôsteres lembra o quê?

Essa história tem muito sexo, violência e monstro, não é de Deus!

Ainda bem que na vida não tem essas coisas, certo?

psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


Blind Guardian



Banda de heavy metal favorita de Thomas. Guardião cego? Por que um guardião cego é melhor do que um que vê? Por que um cego não se preocupa com a imagem, só com a mensagem! Não é tentado pela idolatria. Por que tem tanto herói que fica mais forte ao perder a visão? Shiryu, Demolidor... Por que eles não são tentados pela visão.

Mas tem sangue, morte e sexo nessas histórias!

Ainda bem que na vida não, certo?

Mas Blind Guardian são cabeludos que se vestem de preto!

Isso é idolatria, o importante é a mensagem. Se não entender apanha.

Voltando ao primeiro capítulo da história de Thomas, vocês já entenderam que Hermione, Harry e Rony pouco importa né? São todos os mesmos. Por que o general Harry é ruim? Como estava Hermione diante dele? Por que o Thomas era bom, como é que estavam as mulheres diante dele?

Pokemon, Jesus, Sátanas, Wolverine, Você, sua mãe, boi tatá, exu... é tudo fantasia, o importante é a mensagem, se preocupar com a imagem é idolatria, não entendeu, apanha!

Vou assistir Matrix e me divertir com Neo e meus amigos! Isso é se importar com a mensagem, é louvar.

Vou assistir Matrix e meter bala em todo mundo! Isso é se importar com a imagem, é idolatria.

Ato – Imagem
Motivo – Mensagem

Se importar com o ato é idolatria.
Se importar com o motivo é louvor.

Está vendo a capa do álbum? Se incomodou com os monstros feiinhos? Isso é idolatria, só olhou para imagem! Apanha!

Está vendo a capa do álbum? O que os monstros estão fazendo? Ouvindo música! Gostando! Olha a cara de curiosidade de um deles! Entendeu a mensagem? Prêmio

QUEM SE PREOCUPA COM IMAGEM ESQUECEU A MENSAGEM APANHA

psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


Música Celestial

Thomas estava apanhando, o Rock se tornou um vício, baixava vários álbuns por dia, nem os ouvia todos.

Thomas não precisava mais apanhar, não precisou mais baixar tanto, foi dormir, foi sonhar, música celestial.

Ele gosta da sanfona do Folk Metal, lá tinha.
Ele gosta do violino, lá tinha.
Ele gosta do gutural do Death, lá tinha.
Ele acordou impressionado com a música foda que tinha ouvido, pena que dez minutos depois esqueceu como era.

Em outra noite ele sonhou com Death Metal, e com uma banda de Metal Melódico que ele gostava só que com uns vocais guturais adicionais, o som ficou bem melhor.

O pagode ele começou a achar engraçado, o samba gostou por causa da referência ao candomblé.

“Roqueiro não gosta de forró” - comentário no terra. Falar nisso o terra música tem um monte de gente “bem resolvida”, viu. Xicodorico foi de lá. Ele é viciado em jazz e música clássica.

O show era só dele. Se preocupou com a imagem, esqueceu da mensagem apanha.

Thomas visita um fórum espirita e encontra um estudioso falando dos males da música mundana e das benesses da divina. Esqueceu da mensagem, se preocupou com a imagem, apanha. Nenhuma música agradava.

Erudição horas é burrice, horas é inteligência.

Thomas visita vários fóruns onde pessoas falam mau do Metal, quando ele precisava apanhar ele se doía, agora acha graça. Antes ele “defendia” o Metal. Não existe Metal, é só música. Agora ele esculhamba junto com o detrator.

Quem se preocupa com a imagem esqueceu a mensagem apanha.

Constantine dizia o quê do inferno: “transformar o seu maior prazer em tormento”.

Gospel, funk, mpb, música clássica, jazz... Quanto mais erudita e politicamente correta menos gente para esculhambar mais fácil de viciar.

Quem se preocupa com a imagem esqueceu a mensagem apanha.  

Psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


Gado Apanha!



Feiticeiro tira poder do objeto não da mensagem é idolatra por isso apanha. Harry Potter é feiticeiro? Não! No primeiro filme no início ele faz um vidro desaparecer com a mente. No final ele quebra a varinha. Os sete filmes é a luta dele contra o mau. Voldemort que quer a varinha. Tirar poder do objeto, da imagem, da idolatria. Dá para ser feiticeiro com qualquer objeto ou qualquer livro, isso é idolatria. Apanha! Tirar o poder da mensagem que tem na varinha é louvor.

Luxuria – Idolatria ao corpo – Apanha
Gula – Idolatria a Comida – Apanha
Preguiça – Idolatria – Apanha
Raiva – Idolatria, acha o outro melhor que a si mesmo e tem ódio disso - Apanha
Soberba – idolatria a autoimagem – Apanha

Fantasia e realidade não pode ser claro se não vira imagem é idolatria esqueceu a mensagem. Apanha!

Timidez – Não é ser calado, é achar os outros melhores do que ele mesmo, isso é idolatria. Apanha!

Richard Dawkins – ele tira o poder de sua mensagem, não de seu livro, é louvor, ele sabendo ou não.

Assistir seriado ou jogar videogame o dia todo é idolatria. Fazer isso de forma moderada é louvor. Qualquer história ensina. Monstro, sexo e violência, tal como a vida. Entender isso é louvor, ficar fissurado na imagem é idolatria. Apanha!

Fanático religioso – Tá cagando para mensagem, só quer saber da imagem, é idolatria, feitiçaria. Apanha!

Amar um, dois, três, quatro, mil qualquer coisa é louvor, se for sua mensagem. Amar um, dois, três, quatro, mil, é idolatria se for sua imagem! Apanha!

Racismo (de todo lado) – é preocupar com imagem, é idolatria, esquece a mensagem. Apanha!

Procurar demônio em tudo, é se preocupar com imagem, é idolatria, esqueceu a mensagem. Apanha!

Sexismo – é preocupar com imagem, esqueceu a mensagem apanha!

Fetiche – é tirar poder de objeto, feticheiro usa direto. É idolatria. Apanha!

Homem com homem – se for só por imagem é idolatria apanha!
Homem com mulher – se for só por imagem é idolatria apanha!
Mulher com mulher – se for só por imagem é idolatria apanha!

Família – homem mais mulher.

Homem nem sempre é homem e mulher nem sempre é mulher, o que importa é se completar. Se ficar preocupado com imagem é idolatria. Apanha!

Tarô – O diabo é o material.
O divino é o espiritual.
O diabo é a imagem.
O divino é a mensagem.
Os dois estão em todo lugar o tempo todo. São o mesmo, mas não são. Que nem homem e mulher.

Deus e diabo tem que revesar se não vira imagem é idolatria! Apanha!

Buscar conhecimento – é procurar a mensagem. É louvor. Conhecimento não se preocupa com imagem.

Videntes da ficção são quase sempre cegos por quê?

Blind Kenshi usa o poder da mente no Mortal Kombat por quê? Ele precisou perder a visão para isso. Entender isso é louvor. Prestar atenção nele cortar um outro ao meio é imagem. É idolatria. Esqueceu a mensagem. Apanha!

Amaí vos uns aos outros como a si mesmo – porque todos são iguais, se vê diferença vê imagem esqueceu a mensagem é idolatria. Apanha!

Psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


 Qualquer Rei Apanha!



Samsas Traum – Ele é satânico é feiinho. Se fosse bonitinho era de Deus. Coberto de sangue e coroa de espinho, qual diferença?!

Rico, pobre, pai, humilde, orgulhoso, criado, escritor, deus, mortal, imortal, ficção, realidade... O importante é a mensagem, esqueceu a mensagem, se preocupou com imagem é idolatria. Feiticharia, tirar poder de objeto, apanha!

Ateu que não tira mensagem da razão, mas gosta de sua imagem é idolatria. Apanha!
Cristão que não tira mensagem de cristo, mas gosta da sua imagem é idolatria. Apanha!
Satânico que não tira mensagem de Sátanas, mas gosta de sua imagem é idolatria. Apanha!
Budista que não tira mensagem de Buda, mas gosta de sua imagem é idolatria. Apanha!
Otaku que não tira mensagem de anime, mas gosta de sua imagem é idolatria. Apanha!
Gamer que não tira mensagem de game, mas gosta de sua imagem é idolatria. Apanha!
Mentira ou verdade nunca importou, o que importa é a mensagem, se preocupa com a mensagem é louvor se preocupa com imagem é idolatria. Apanha!

Falar a palavra sem à entender é pior do que ficar calado. É procurar a imagem, esquecer a mensagem. É idolatria. Feiticharia, tirar poder de objeto. Apanha!

Se pede é para espalhar a palavra, a mensagem, não o livro, o objeto. O físico é a imagem, a mensagem é que é o espírito. Se preocupar com a imagem é idolatria. Apanha!
Sentir pena, coitadinho, é idolatria, se preocupa com imagem. Apanha!
Ser amiguinho, é idolatria, falsa amizade, se preocupa com imagem. Apanha!
Ser bonzinho, é idolatria, quer ser bem visto por todos, se preocupa com imagem. Apanha!
Ser moralista, é idolatria, não quer ter que se preocupar com questões morais, é se preocupar com imagem. Apanha!
Sentir culpa, é idolatria, se preocupa com o que os outros vão pensar de si. É esquecer a mensagem, só querer a imagem. Apanha!
Ouvir música, mas não entende a mensagem, é idolatria, só procura a imagem. Apanha! Dá para ser idolatra com qualquer música, pois música é ilusão, estilo musical não existe. Na natureza não tem estilo, o som é um só.

Nome do Vento – Se descobrir o nome das coisas você as controla. Isso porque entende a mensagem, não se preocupa com imagem, não é idolatria. Se prende a nomes “bom”, “mau”, “deus”, “diabo”, “magia”, “fé”, não é entender a mensagem, é se apegar a imagem, é idolatria. Apanha!

Somos todos um só – se não entende a mensagem esquece a imagem se não é idolatria feiticharia (tira poder da imagem da palavra e não da palavra em si) Apanha!

Palavras atraem por quê? Por que se não entender o que está dizendo é idolatria, desejar a imagem, esquecer a mensagem. Apanha!

Vitima e opressor é imagem os dois merecem apanhar!
Preto, branco, homem, mulher, criança, velho, adulto, puta, virtuosa, varão, galinha...É imagem todos merecem apanhar!

Se se preocupa com mensagem, não importa o que faça, é louvor.

Psicografei - quem se preocupa com imagem esqueceu a mensagem apanha


Obvio



- A natureza é cruel.
- A vida é cruel.
- Deus é cruel.

Não tem sentimento em jogo, é razão. Tem que pôr pra funcionar. Tem que bater? Tem que matar? Tem que foder? Tem!

Guerra dos Tronos – Ou você vence ou você morre.
Guerra da Vida – Ou você vence ou você morre.

Guerra – Jogo – Quem tem mais chance de vencer é quem sabe as regras, certo?
É o mais inteligente? O mais bonito? O mais saudável? Não, é quem sabe as regras. Adaptado!
Por que tem tanta gente querendo te impedir de bater, foder e “matar”/ vencer?
Ser bonzinho é isso. Ser amiguinho não é sinônimo de ser bom.

Você é especial entre todas as criaturas?

Você trabalha e estuda para comer, você casa para foder e ter filhos.

Você é especial entre todas as criaturas? É. Animais não são outras criaturas. Todos têm que bater, têm que matar, têm que foder.

Por que Nick é o herói de Grimm? Por que ele consegue perceber o que as pessoas são: animais.
Por que Nick não tem um parceiro Grimm? Os amigos deles são o quê? Animais! Um lobo, uma raposa e dois humanos.

As pessoas só enxergam o que querem ver. Se você quer ver mensagem subliminar com pirâmide e olho você a verá até em nuvem. Se você quer ver mensagem subliminar com caveira e chifres você verá até no piso da sala. Tormento eterno é isso. Não entender as regras do jogo. Ficar desesperado em busca da felicidade, sendo que felicidade é que nem mulher (ou homem), se for muito ávido a ela, ela foge.

Felicidade não é o objetivo, é o resultado.

O que é felicidade eterna? É você entender como as coisas funcionam e lidar melhor com elas.

O que é tormento eterno? É você não entender as regras do jogo e ficar reclamando por qualquer besteira, como não ter o que fazer. Por que tem gente que é feliz com pouco e outros são infelizes com muito? Muito - Pouco não é material, é espiritual, saber.

Terceiro olho não é terceiro olho. Olhe a realidade na fantasia, não a fantasia na realidade. O terceiro olho é onde? Na testa, no cérebro. Cérebro foi feito pra quê? Pra usar.

Felicidade não é ausência de problemas. Ócio dá depressão.
Infelicidade não é excesso de problemas. “As vezes a melhor ajuda que alguém pode receber é ajudar o próximo” vi essa frase em O Nome do Vento. Ela lembra quem?
“Punição infinita para crime finito não é justiça. É vingança”. - Comentário que vi no Youtube.

A natureza é vingativa?
Deus é vingativo?
A vida é vingativa?
Não tem sentimento em jogo, tem que pôr para funcionar.

Sou zureta? Talvez. Não gostou de saber das regras? Então tente ser amiguinho de todos.

Morte – vida
bem – mau
mulher – homem
sabedoria – loucura

Não são opostos, andam de mãos dadas. Os maiores gênios são o quê? “Normais”? O que difere ele dos demais? É saber as regras.

Qual é o segredo? Poder do pensamento de atrair coisas é o quê?
Saber as regras.

É para enxergar a realidade na fantasia, não o contrário.

No seriado Da´Vinci´s Demons o pessoal acha que é critica a religião católica. Não é.
O herói diz o quê? Que o raciocínio é uma dádiva de Deus. O papa, que é o vilão da história nessa fantasia, quer controlar a dádiva.

Tem muita freira e padre no seriado que ajuda o herói. Eles são católicos, mas não são que nem o papa que é o vilão da história.

Se achar especial é o primeiro passo à atingir a paranoia. Todos são os inimigos, só você que sabe tudo. Você nasceu há quanto tempo? Trinta anos? Isso não é nem ontem! Para o mundo isso não é nem há dois segundos.

Thomas criou histórias onde ele critica todo mundo. Ao colocar em um site os comentários foram engraçados. Os ateus acharam que ele falava mau deles e os cristão acharam que ele falava mau deles.

Opostos, mas iguais não soa idiota quando você entende as regras do jogo.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Segundo Thomas

Magia e animais falantes não tornam a história pueril assim como sangue e sexo não a tornam madura. Tentei transformar essa saga originalmente pueril em madura.

Sempre que ficava preocupado sua cicatriz doía. Cicatriz essa ganha no campo de batalha ao confrontar seu arqui-inimigo, o homem que juntou um exercito para cercar o seu castelo. O cerco já durava mais de dois meses, e isso era preocupante, pois os recursos do castelo de Hogwarts não durariam para sempre. 

O general Potter massageou sua cicatriz em uma tentativa pífia de fazer com que a dor esmaecesse. Ele podia massageá-la o quanto quisesse, aquela dor não era física, não podia ser resolvida com meios físicos. A cicatriz do Homem Que Sobreviveu tinha um formato de um raio. Um raio que ia do topo direito da testa, passava pelo nariz e ia parar no final do queixo, quase descendo pelo pescoço. Sua barba perfazer escondia o finalzinho de sua cicatriz. Seu rosto era quadrado, principalmente seu queixo. Sua expressão dura. 

A miopia severa fazia com que ele precisasse usar óculos, porém ele não se permitia utilizá-lo na frente dos demais. O general Potter não demonstrava o menor sinal de fraqueza. Ele não tinha amigos, só aliados. Aliados esses que não pensariam duas vezes em lhe passar a perna se isso os favorecesse ou se pudessem.

Do alto da torre, o general Potter contemplava a barreira mística que protegia o castelo, impedindo as tropas inimigas de invadirem. No início do cerco a barreira era vigorosa, mas a cada dia ela ia enfraquecendo. A energia necessária para mantê-la era dispendiosa e a magia do castelo não era infinita.

Rony Wesley, um dos seus aliados, subiu correndo o lance de escadas para ter com o seu líder uma conversa. - Harry. - Rony pôs a mão na boca se auto repreendendo.

- Do que me chamou?

- General Potter, temos um problema. A magia das varinhas está acabando e o estoque novo não é de boa qualidade. - Rony falava de cabeça baixa, ele não tinha o direito de falar com o seu líder de igual para igual.

- Me mostre. - Rony guiou o seu líder até as reentrâncias do castelo. Durante o percurso os dois soldados viram os bruxos e bruxas que partilhavam o cerco em situações precárias. Faltava comida, faltava medicamento para os feridos, faltava condições básicas de higiene. Mesmo em condições tão penosas, os bruxos podiam se considerar sortudos. Aflição verdadeira quem passava eram os trouxas, os humanos sem magia. Essas pessoas, pobre coitadas, viviam na base da pirâmide social. Não eram escravas, mas era quase como se fossem.

Filch, o zelador do castelo, era um rapaz jovem, vinte e poucos anos, mas cujo o trabalho lamurioso o fez envelhecer rápido. Trabalho esse que era agravado pela situação de sua esposa. Sua mulher andava sempre com ele, carregada em seu colo. Ela nascera humana, mas uma maldição a converteu em gato. Maldições não são eternas, magia custa energia e como qualquer energia um dia acaba. Há dois anos ela se encontrava assim. Filch rezava aos deuses para que o dia de seu regresso à humanidade chegasse logo.

No décimo andar do castelo ficava a armaria. Vários caixotes recheados com a mais perigosa das armas, varinhas. O general Potter abriu um desses caixotes e pegou uma varinha a vulso, queria testar sua qualidade. - Crucio! - A varinha apontada para Rony o fez despencar no chão e contorcer-se em dor, mas aquela dor não foi o suficiente.

- Essas varinhas são uma porcaria! De que material são feitas?

- Pelo de unicórnio.

O general Potter partiu a varinha ao meio e checou seu interior com a língua. O gosto denunciou o engano. - Sua besta! Esse pelo não é de unicórnio. - Rony ainda estava deitado no chão quando foi golpeado com dois chutes nas costas. - Quanto você gastou dos nossos recursos comprando essas falsificações?

Rony conseguiria se levantar, mas não ousava. Seu rosto já se molhava só dele imaginar o tipo de represália que sofreria por dar aquela resposta, mas deu assim mesmo. Não ousaria mentir. - Quinhentos mil gringótes.

- Sua besta! - Mais um chute. - Pode esquecer a suspensão da maldição que pus na sua irmã. - A jovem Gina recusou o galanteio do general. Algo que ele julgava como sendo o pior dos crimes em sua administração. A maldição jogada nela por ele a impedia de sair de casa. Não havia nada físico ou místico que a impedia de sair, o impedimento era moral e partia de dentro dela. - Sua safada! - Foram as palavras que o general Potter disse ao jogar sua maldição. A maldição posta em Gina a impedia de usar o mais leve dos tecidos. O toque de qualquer vestimenta, por mais confortável que fosse, causava-lhe dor.

O general Potter saiu da armaria deixando o seu aliado ainda no chão. Só quando Rony percebeu que o seu líder não podia mais ouvi-lo foi que tomou coragem para se levantar e expor sua raiva. - Tarado nojento!

Sempre visto com uma roupa militar preta, seu peito era estampado por um leão. O leão no seu uniforme já significou coragem, mas agora só representava opressão. Na perna, em um coldre, o general Potter portava sua varinha. Aquela arma servia mais de ostentação, ele quase nunca a usava. Afinal, quem vai para guerra é peão. Ele só dava as ordens.

Em seus aposentos, o general se despiu. Quando estava em seu quarto quase nunca usava roupa. A nudez por si só não é pecado, mas sim o que ele fez com ela. Algo que superava em muito o significado da palavra impuro. 

Como bichos de estimação, quatro mulheres eram mantidas cativas em uma cela. Uma chinesa, duas irmãs indianas e uma loura. Assim como bichos também eram mantidas despidas. Mulheres brilhantes que poderiam fazer muito mais ao mundo do que o papel de objeto de decoração.

Assim que o general abriu a cela onde as mulheres eram aprisionadas, elas se recolheram, fugindo de sua maldade. O general apanhou uma ao acaso. Hermione, a mais inteligente de todas. Sua mente brilhante era subaproveitada, para dizer o mínimo. Ali ela era só carne.

O general sentou na cama e forçou Hermione a ficar de joelhos.

Todas as pessoas que estavam sob a bota do seu comando achavam aquele comportamento imoral. Mas o general tinha poder demais. Poder suficiente para fazer que ninguém o enfrentasse.

Ninguém, não. Sempre há ao menos um que combate a tirania.

Ele adquiriu a mania de apalpar o próprio nariz desde que ouvira boatos maliciosos sobre sua aparência. Boatos absurdos, mas tão repetidos que as vezes até mesmo ele, que era dono do seu nariz, acreditava. Da descrição monstruosa e fantasiosa feita à sua pessoa a única coisa verdadeira era o fato dele ser careca. Fora isso, ele era um garoto de dezoito anos comum.

- Senhor Riddle, nós encontramos uma brecha na barreira. Há um túnel subterrâneo no castelo por onde as tropas do general Potter adquirem suprimentos.

- Draco, estamos sozinhos, não precisa ser formal. E ele não é nenhum general, é um sangue ruim. Se refira a ele pelo seu devido nome.

- Sim, senhor... Sim, Thomas.

O uniforme de Thomas também era preto, não importa qual lado se esteja, em uma guerra ninguém tem o luxo de se mostrar fraco. No seu peito havia a estampa de uma cobra em posição de ataque. 

O exercito de Thomas era muito mais numeroso do que o do suposto general, mas tal vantagem cobrou um preço. 

Dumbledore, alguém tão ou mais cruel do que o general Potter. Apesar de não ter gostado de fazê-lo, Thomas se viu obrigado a se aliar a ele. Quando se tem um objetivo as vezes é necessário se aliar a pessoas cuja a qual não gostaríamos.

- Oi, amigo. - Disse o velho de barba comprida e sorriso tortuoso.

- Não, isso nunca. Só estamos do mesmo lado por ora.

- Claro.

Dumbledore era acompanhado por seu capacho, Hagrid. No corpo, metade gigante e metade humano. Já a sua crueldade superava à de um gigante e a de um humano multiplicadas. Ele estava armado com uma varinha, mas quase não usava. Quem precisaria de varinha com mãos tão poderosas como aquela e um corpo resistente a maioria dos feitiços?

- Os trouxas irão no pelotão da frente, certo?

Outra concessão que Thomas teve que aceitar para ter uma chance de ganhar a guerra. Após engolir sua moral, Thomas respondeu positivamente com a cabeça. O movimento foi rápido e não pôde ser acompanhado pela fala. Thomas achava aquela ideia tão perversa que não conseguia fazer com que ela saísse de sua boca.

Dumbledore percebeu o conflito no aliado e se deliciou.

Afastados das barracas do destacamento, na floresta, Thomas teve uma reunião secreta com seu agente infiltrado. Assim que ele chegou, Thomas retirou a varinha do seu coldre e a entregou a Severo.

- Quando as tropas invadirem o castelo eu quero que você mate Dumbledore. Não podemos correr o risco de substituir um tirano por outro.

Severo pegou a varinha do seu líder meio relutante. - O senhor não irá precisar?

- Não seja bobo, soldado. Eu sou general, não entro em campo de batalha. Não preciso dela.

Severo pegou a varinha do seu líder e a colocou por debaixo de sua camisa. Antes de ir embora, porém, ele não conseguiu se conter. Severo pegou o ombro do seu general e apertou com força. Aquele gesto era inapropriado, já que um inferior hierárquico não pode demonstrar igualdade em relação a seu superior.

Thomas conteve um sorriso, ele não foi para guerra fazer amigos. - Soldado, nem pense em fazer isso na frente dos outros. - Severo pareceu ignorar o pedido do seu general e lhe deu um forte abraço. - Claro. Não sou tão burro quanto pareço, general.

Thomas não foi para guerra fazer amigos, mas fez. 

Os dois desataram a rir ao se darem conta de que naquele lugar isolado não havia necessidade de máscaras.

- General, Crab teve uma ideia de marketing que o senhor deveria ouvir.

- Diga logo, soldado.

- Thomas é um nome muito comum, você deveria trocá-lo por um mais...- Desistindo da ideia de inventar um adjetivo, Severo tratou logo de dizer o nome. - Voldemort, o Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado.

Thomas riu mais forte ainda. - Meio bobo esse nome, não?

- Quanto mais bobo e infantil melhor. Segundo Crab as pessoas viram crianças quando estão amedrontadas.

- Genial esse garoto Crab. Vou pensar no caso, prometo.

A batalha começaria dentre algumas horas. O tempo necessário para organizar os pelotões e a infantaria. Tempo suficiente para Thomas visitar suas esposas, já que talvez não pudesse mais vê-las. Generais não entram no campo de batalha, mas isso não significa que não se arriscam na guerra.

Thomas entrou na barraca de Narcisa. Sua esposa, quando o viu entrar, ficou tão avida de saudade que foi logo tentando retirar seu uniforme. Ele impediu, não estava no clima. Thomas sentou na cama e Narcisa sentou ao seu lado.

- O que foi? - Thomas não conseguiu responder. Simplesmente desatou a chorar. - Sou um monstro.

Discretamente, Bellatrix pôs a cabeça dentro da barraca, temendo ser inapropriada. Narcisa fez um gesto para que ela entrasse. Assegurando-a de que estava tudo bem e de que ninguém estava tendo sua intimidade invadida.

Belatrix sentou na cama, também ao lado de Thomas. As duas esposas e Thomas no meio. - O que foi? - Perguntou Bellatrix. Narcisa sinalizou negativamente para que ela não insistisse na questão. Isso seria inapropriado no momento.

- Tudo bem, a guerra é assim mesmo. - Disse Bellatrix, dando um cafuné na careca de seu marido.

Guerra. Talvez não houvesse volta. O que tivesse que ser feito teria que sê-lo agora ou nunca mais.

Com vontade, Thomas puxou Narcisa para perto dele e tascou-lhe um beijo poderoso. O susto fez com que ela recuasse um pouco, mas após se acostumar respondeu ao gesto. Enquanto isso, Bellatrix tirava a camisa de Thomas. Não havia tempo, era amar agora ou nunca mais. As roupas foram sendo retiradas enquanto os gestos iam ficando cada vez mais quentes. Amaram como se não houvesse amanhã, pois muito provavelmente não haveria.

Após o ato, Thomas saiu da cama deixando suas duas esposas adormecidas devido à exaustão. Antes de ir embora, ele beijou a testa de cada uma delas.

Após vestido, Thomas saiu da barraca. Mas antes, não se conteve e olhou para trás. Repousando seus olhos nelas. As duas estavam nuas, mas não eram seus corpos que o atraiam.

- Tchau. - Com pesar no peito, Thomas foi embora. Ele temia estar fazendo algo errado já que a sociedade da magia não era poligâmica.

Continue a ler a história de Thomas aqui

Depoimento de crente chato:

Sendo de uma extrema sinceridade que eu tenho até receio de vir a me arrepender. Há alguns anos tive um problema grave de saúde, minha tia que é analfabeta me disse que era por causa do fato de eu ser médium. Nunca vi fantasma, nunca previ o futuro, nunca movi objeto com a mente. Durante as sessões eu só pedi uma coisa: deixar de ser tímido. De repente, após dez anos no candomblé sem ver nenhuma mudança prática em minha vida, eu me encontro andando na rua e fazendo coisas que eu antes evitava sem nem pensar duas vezes, no automático. Em conversas, só vindo a perceber depois delas terem terminado, eu me vi guiando o assunto. Pessoas que viam com ideias que eu descordava, as respostas saiam da minha boca na lata, sem nem eu ter que parar para pensar. Pessoas que antes eu sentia raiva, agora passei a sentir pena ou admiração, algumas estavam certas. As ideias para essa história e muitas outras estão vindo na minha cabeça sem eu procurar por elas. Simplesmente elas vêm. Tanto que tenho que me conter para não ficar escrevendo o dia todo, pois tenho que estudar e trabalhar.

Sou médium mesmo? A inspiração vem de fora? É Fantasia? Isso nunca importou. O que importa é o resultado.

ps: continuo sem ver fantasma (esse eu acho que vi duas vezes, mas foi só por meio segundo enquanto acordava então não tenho certeza), sem prever o futuro e sem mover objeto com a mente, se eu quiser ver efeito especial vou assistir X-men. Que não sei como se tornou uma experiência muito mais deliciosa, pois estou imaginando um monte de versões alternativas.

Se eu soubesse que macumba era tão boa eu tinha entrado mais cedo.