terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Umbral, Aiye, Orum

No mundo de fantasia Polícia do Axé que estou elaborando há o multiverso e em cada uma dessas fatias de universo há três realidades: o Umbral, que é o plano inferior. Não chega a ser o inferno, mas é onde as pessoas se limpam de pecados e vícios. O Aiye é o plano material onde as pessoas vivem. Os médiuns enxergam além da Aiye. Por fim a o Orum, o mais próximo do paraíso que uma pessoa pode chegar até ir a próxima camada.

domingo, 30 de novembro de 2014

Detetive do AXÉ - liivro que sonho publicar

https://www.fanfiction.net/s/10879625/1/Detetive-do-Ax%C3%A9

Nesse livro acompanhe a aventura do detetive sobrenatural Marcos Mignola que é ajudado pelo Exú e outras entidades ligadas ao candomblé. Participação especial de Ashtar Sheram, Mãe Iara, Mapinguari... Ou seja, é uma festa.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Políciais de Ardaa.
Um "Senhor dos Anéis afro-brasileiro" passado em uma realidade alternativa contemporânea.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Prologo

Nome da obra – Policiais do AxÉ

Autor – Alan Cosme Machado de Almeida

gênero weird fiction

Prólogo

No início dos tempos uma força primordial criou o multiverso e tudo o que nele habita e isso inclui planetas, estrelas deuses e animais. No planeta gallyfreyy55 um nativo chamado Douglas Adams batizou o evento como ATEA, já que a divindade não era social e não gostava de falar muito.
O tempo não é uma constante logo não dá para saber se essa estória se passa no passado, presente ou futuro, ou em uma dimensão paralela. Uma da infinitaaas.
Os milhares de milhões de anos se passaram e eis que chegamos ao planeta T546, que mais tarde seus habitantes sencientes do planeta o chamariam de Terra.

Os primeiros deuses não respeitavam a ideia simétrica de beleza jumana, logo só contemplar sua visão ou presença poderia ser fatal. Pior do que forças da natureza. O estágio abaixo na hierarquia são os anjos de luz e por último os anjos de carne. Representantes da natureza são o mais próximos possíveis da raça humana do pelotão divino, mesmo assim ainda muito distantes. Isso sem contar semideuses e nephlins, que são fruto de um anjo com uma humana, ou vice versa.

Mundo surreal - Stone Metal

Na primeira idade da pedra lascada, ou seria a segunda ou a última? Seres humanos erguiam muralhas para conviver bem com os lagartos trovões, lagartos gigantescos que eram guiados pelos reptilianos. Nessa muralha dois guardas conversavam para manter o frio e o tédio afastados

- Tho-mas, já pensou se em outro lugar há um outro nós dois tendo essa mesma conversa?
- Raf-el, você lê demais. Tá precisando de uma namorada.

BOOOM! Uma grande explosão.

Os guardas munidos com lanças-pistolas voltaram sua atenção para eles, os invasores reptilianos. O líder deles era um semideus lagarto. Impossível de ser derrotado, mesmo assim os guardas tentaram.

Longe dali vestindo uma armadura dourada e com asas reluzentes aguardava um anjo o Doutor Exú.

Quando os reptilianos já tinham deixado as presas moribundas e seguido em frente, o anjo foi ter com eles,

Um estava já morto, não lhe servia de mais nada, - Raf-el, pretende continuar na luta?

O humano não conseguia falar. Um breve gesticular foi suficiente.

Raf-el virou um egum, espirito dos mortos. Não foi necessária magia e sim tecnologia do fim dos tempos, tecnologia ômega que pode fazer basicamente quase qualquer coisa. Agora Raf-el pode apoiar a causa travestido de pistola satânica, inclusive com emblema de caveira na frente.

Enquanto isso as outras partes de Wakanda eram atacadas. Mas eis que no reino havia um campeão, Capenguele Bussaca da armadura de Xangô. Um negro parrudo vestindo uma armadura rubra, em suas mãos machados duplos.

Do alto de uma torre de vigília o guerreiro de Xangô se jogou com os machados a frente. Foi uma carnificina reptiliana.

A luta contra o semideus lagarto foi ferrenha, dentadas, unhadas e chicotadas com a cauda contra o machado duplo. No fim Capengele saiu campeão.

Com o final da luta vitoriosa, Dr.Exú pegou o egun que foi espólio de guerra e foi embora.

Mundo surreal - O Tigre e a Aranha.

Era uma vez o Tigre que era dono de todas as histórias do reino da floresta. E vocês bem sabem informação é poder. Tinha também a Aranha Anansi que queria aquelas histórias só para ela. Mas a aranha era pequena não podia com um tigre. Eis que aparece a cobra sem veneno. O inofensivo Dr.Exú. Que na época não era doutor, muito menos mestre em coisa alguma. Mesmo assim ele já era bastaste esperto. Ao menos o suficiente.

No final da história a cobra verde sem veneno e inofensiva engabelou aos dois e ficou com todas as histórias da floresta. Quase todas ela jogou fora, só se interessava por uma. O plano de elaboração da armadura de Oxumarê do arco iris.

Mundo surreal - Kiriku, o Caçador de feiticheiro.

Nu. Desse jeito Kiriku enfrentou sua adversária. A bruxa ruiva. Ela era linda, a contenda podia muito bem acabar na cama, mas Kiriku era fiel demais aos seus dilemas para isso. A nudez do africano de vinte e dois anos se explicava por um corpo fechado mantido por sua mãe através de reza braba.

A ruiva apontou para o benzido e soltou um raio azul de sua varinha, mas foi ineficaz. Esse por sua vez esmagou a cabeça da “adoradora do mal” pelos olhos.

Fatality!

Após o assassinato, Kiriku foi até a praça da cidade banhar seu sangue em uma fonte publica. Pelado do jeito que estava, ele não tinha medo de vexame, era dono de sua sexualidade.

Capítulo 1 - Mundo “real” – ROOOAAAR!

Isso é atentado ao pudor
mas kiriku pode supor
filho de orisá tem suas regalias
MADE BY the HATE
filho de xango com moça pega na tora
Made by the hate

Doutor Exú ao longe assistia a um grupo de groove metal de doze anos cantar sobre o kiriku que ouviam em lendas na aula da escola,

- HAHA – riu o jovem que assistia a apresentação enquanto aplaudia o encerramento da peça genuinamente empolgado. Marcos Mignola estava ali à convite de sua noiva Lorelei que por algum motivo não compareceu.

Marcos Mignola era dono de uma firma de eletroeletrônicos. Agora ele só geria o negócio, mas no passado teve que concertar muita bobina velha. Marcos tem trinta anos e uma vida não rica, mas confortável.O sucesso de Marcos vinha também das obrigações que tinha para com sua santa. Além de claro muito trabalho e dedicação. No candomblé a graça não é guardar a dadiva para si, mas compartilhá-la. Todo ano Marcos e sua família davam caruru. Sete meninos primordiais e balas no minimo.

Marcos Mignola não é o único no mundo, mas como seus grupo sociais tinham poucos representantes, ele tinha vergonha de dizer que era do candomblé. Vergonha, mas a amava, Comportamento antagônico tipico humano.

Naquela noite Mignola foi visitar a terra do sonhar, o Orun, E lá teve uma disputa.

Antes da luta Marcos foi se aliviar. Sua santa também é conhecida por desejo sexual e há tampo que Lorelei não comparece na cama do seu namorado. Não chegava nem perto de sexo real, mas dava para o gasto.

O tempo no Orum não é linear, Marcos foi mandado para o passado ou futuro e se viu em meio a uma guerra reptiliana. Ficou desarmado por pouco tempo, logo o Doutor ExÚ lhe passou uma pistola de caveira. Um mago negro a sua frente. Não teve tempo de soltar uma magia. BLAM! BLAM!

Nota de rodapé – diferenciando magia de feiticho.

Fetiche é tirar poder de objeto, é ser superficial. Mas isso não quer dizer que feiticeiro é sinônimo de mal, nem que mago é de bom.

magia é tirar conhecimento do objeto, é sabedoria.

XXX

- O mago das trevas nem usou uma máscara majora. - Comentou Marcos Mignola.

- Vai ver ou era muito inexperiente ou muito confiante. -Respondeu Doutor Exù.

- Ou muito burro,

Por fim Marcos devolveu a pistola ao seu dono. - Náo quero dever nada a você e nem egum.

Nota de rodapé – O Orum.

Há várias dimensões no cosmo, uma melhor que a outra, todas essas têm o Orum (a grosso modo o paraíso) e o umbral que serve para espiar os pecados. Todo mundo quando morre vai para o umbral seu tempo de estadia é que varia. Depois de espiado o tempo vai para o orum como e quando vai depender. Isso é um ciclo encantatório que termina no SamSara.

Mundo real - primeira sexta do mês

- Vai para macumba, Marcos?

-Mas já não sabe. Todo início de mês é isso.

Ppppppor Marcos ninguém discutia, pois ele era patrão se funcionário nem essa regalia teria.

Mundo Surreal – a baleia, a cobra e Ashtar Sheran

Em sua espaçonave em um passeio longínquo o eterno Ashtar Sheran veio à Terra em busca de um habitante para conversar, porém, a humanidade há muito já perecera, o que restou a ele conversar com o animal mais sabido, a Baleia Mas a sabedoria da baleia de nada adiantou quando a cobra dágua veio e recuperou seu maior tesouro. A armadura de Iemanjá que quem vai usar acho eu que é Marcos Mignola no embate final


Roncco.
Sheila precisou raspar a cabeça, são sete dias que parecem uma eternidade comendo acassá, comida de péssimo paladar mas que faz bem ao santo, retiros espirituais demandam sacrifício nem que seja de conforto por um tempo.

No final houve uma festa e Sheila teve que gritar o nome de sua santa. Nessa hora suas amigas todas gritaram juntas porque nome de santo é perigoso. Dá para fazere maldade com a pessoa sabendo o nome de sua santa. Por exemplo, a santa de Sheila é Nanã mas seu nome é...Já Marcos Mignola o nome do seu santo é Japeto das dimensões

Caçador de demônios por um dia.

Com um egun com cara de caveira e porte de arma em punhos, o Genersl Potter foi em busca da sua missão, resgatar um inimigo de outra encarnação. O umbral mesmo em um estágio tão longínquos tem casas e edifícios. Como se todas as épocas até então estivessem no mesmo lugar. Zumbis são a maioria mais há cyborgs satânicos e monstros de tofo tipo como dragões, principalmente.

Potter viu uma livraria, não aguentou e foi lá conferir. Não podia ver uma livraria que não se aguentava e o bolço coçava. Os títulos presentes tinham exemplares de “Evocando demônios inferiores” e “Como usar um esú escravo para o mal”. Não aguentou e comprou o “Animais imaginários exóticos e onde habitam”.

O preço, é claro era um pedacinho da sua alma, mas ele ainda tinha metade dela. Dava para gastar com muita coisa.

BLAM!BLAM!BLAM!BLAM!Vários zumbis foram mortos no troteio, inclusive um cyborgs que estavam dando sopa na praça de alimentação.

Como clichê, o herói da história foi resgatado pelo bandido acorrentado em uma masmorra.

- Por que demorou tanto? - Perguntou Thomas Riddle coçando voluptuosamente o nariz devido ao cárcere o impedir.

- Vamos ser sinceros. Um não vive sem o outro. - General Potter entregou a Riddle uma varinha com estrela de cinco pontas falante.

- Nos tire daqui, por favor. - Pediu Potter.

Thomas sacudiu a varinha para o alto e gritou a plenos pulmões – TO MEGA THERION

Música sacra não é sinônimo de gospel
Marcos Mignola estava quase desistindo dos orixás quando a força primordial falou com ele através de um mp3 de uma banda de canto gregoriano que nem religiosa era.

Alpha e Ômga
Mundo primordial, sopa cósmica.
Alfa e ômega
Início e fim
Ponto Alfa.

Doutor Exú ainda era chamado de Exù Mirim. Um pretinho magricela que andava por aí pelado. Suas asas de nada adiantavam já que não serviam para voo. Ao menos não ainda. Mais tarde o Mirim descobriria muitas utilidades para elas. Proteger um ente querido, por exemplo. Outras nem tão nobres assim.

Olorum, garboso vestindo sua armadura, demonstrava ao seu aprendiz despido a glória do seu povo.

- Assim como a humanidade nascera na África, todos os deuses nela também nasceram.

Exù Mirim vagou por entre incontáveis armaduras e viu a dos orixás, viu a dos santos católicos, viu a do horóscopo. E, principalmente, do Deus Rei Sol.

Mirim contemplou sua imagem por poucos segundos, mas quase ficou cego devido a sua perfeição. Mas era uma perfeição falsa. Nada chegava aos pés da força primordial. Não havia armadura no multiverso que pudesse contê-la.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Homem Aranha das antigas

https://www.youtube.com/watch?v=lCDCGypbU3E&list=PLGoVECOpVqwTg1oFgRe_LGDVDaMfLiVR7

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Lançamento Deuses de Dois Mundos O Livro da Traição


Como gostei bastante do primeiro livro, o Livro do Silêncio, não pude deixar de comparecer à noite de autógrafos que aconteceu em Salvador no shopping Iguatemi na livraria Saraiva. Comprei o novo romance da série, o Livro da Traição, e ainda tirei uma foto com o autor PJ Pereira.

Cosmoética na relação de poder com Wagner Alegretti

quinta-feira, 1 de maio de 2014

canal do yawõ - aceitação

Pra quem não sabe yawõ é quem é novo no santo. Achei esse canal interessante chamado canal do Yawõ que mostra o cotidiano de alguém que é do candomblé. Me identifiquei muito com essa menina, pois também sou adepto só não passei pelas mesmas experiências.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Matinta Pereira – Metalcore folclórico brasileiro

Não sei o porquê coloquei exú e metalcore no youtube, não tinha esperança de encontrar algum resultado, mas encontrei. A banda Matinta Pereira não tem álbum disponibilizado infelizmente, mas suas músicas falam sobre o folclore nacional, uma empreitada super original e que espero dê bons frutos para os membros da banda. Que cresçam na empreitada do Metal.
SITE OFICIAL

quarta-feira, 5 de março de 2014

Tierramystica


Se você acompanha o blog há um tempinho já deve ter percebido que curto bastante Rock devido as postagens musicais daqui. Como noventa e nove vírgula nove porcento dos fãs desse estilo não sou muito chegado em carnaval. Por consequência disso ao invés de estar na avenida ouvindo axé e pagode prefiro curtir um festival que tem aqui em Salvador todo ano nessa época chamado Palco do Rock. Nos quatro dias de carnaval o evento presenteia o roqueiro com várias bandas de vários gêneros, sendo que a maioria é de Metal.

Na terça feira de carnaval, uma das atrações do festival foi a banda gaúcha Tierramystica. O grupo tem um som original que mistura o Heavy Metal com a música tradicional latino americana criando uma atmosférica até meio New Age apesar do instrumental pesado. Confesso que quando vi as flautas e os instrumentos típicos temi que eles fossem eclipsados pelas guitarras, um problema que acontece até em bandas "leves", como em Teatro Mágico, que achei o som do violino meio apagado ao vivo. Pelo contrário, além de não serem escondidos, os som de flautas e instrumentos diferentes são bem nítidos. Da noite o Tierramystica foi uma das bandas que mais empolgou a plateia. Também, com um som bom desse não tem como não agradar. As músicas do Tierramystica em suas letras falam sobre esperança, fé e glória, porém quase sempre com alguma referência a religiões xamãs, culturas indígenas ou a povos pré-colombianos (Astecas e Maias).