terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O Paranoico - Ótimo Conto Para Reflexão.




https://lillyas.wordpress.com/2014/10/15/o-paranico/

Doutor Exu - Cap 01 - Post Mortem


Marcos Mignola passou o fio da navalha em seu pulso esperando encontrar o fim da existência, ao invés disso encontrou apenas grilhões e mais dor. Preso no Umbral, ele serviu a um feiticeiro cruel por o equivalente a uma pequena eternidade, até que não aguentou mais e pediu por ajuda. A ajuda veio, mas não sem antes impor-lhe uma condição. - Você será um Mensageiro dos Céus, irá ajudar aqueles aos quais omitiu ajuda em vida!
- Mas isso é injusto!
- Injusto é queimar a vida antes do tempo. - Ainda preso pelos grilhões, Marcos Mignola continuou a ser um escravo, mas um escravo da luz. Tudo tem um lado sombrio, até mesmo o lado do bem. - Você voltará ao Aiye, mas os seus entes queridos não mais o reconhecerão. Não tente se reaproximar, você jogou o seu tempo com eles fora, agora arque com as consequências dos seus atos. - A passagem de tempo no Umbral era diferente, meses equivaliam a séculos.
- Mas minha Lorelei.
- Pensasse nisso antes. - O anjo que veio ajudar Marcos era um egungun, um espírito nobre demais para pôr os pés no Aiye. Ele se sentia enojado só em respirar o ar carregado daquele plano. - Você voltará a vida, mas não estará vivo. Será um disfarce. Pode continuar a usar o seu nome de antes, mas a partir de agora você será o Doutor Exu.
Marcos riu pela primeira vez em muito tempo. - Mas eu não terminei nem o segundo grau.
No cemitério onde havia sido enterrado, Marcos abria espaço ao ar livre de dentro da sua cova. A porta do seu caixão cedeu as suas novas e poderosas mãos, e as suas asas recém adquiridas. Asas douradas que ofuscavam o brilho da lua e iluminavam a noite. Nascia o mais novo guardião da madrugada.
Os braços de Marcos Mignola estavam estampados com tatuagens dos mais variados saberes místicos. Ele seria preterido pela sociedade por isso, mas já havia sido advertido que a missão de um escravo não requer glórias.
Com o corpo coberto apenas por uma mortalha e sujo de terra, Marcos caminhou cambaleando sem destino. Suas asas eram só um peso morto, pois ele não sabia como as utilizar. Mesmo diante da luz que emanava, as pessoas que passavam por ele viravam as costas ou o ignoravam. O julgavam como sendo um drogado inútil, um merecedor da sarjeta.
A cidade de São Pedro era uma megalópole cheia de contrastes. Ao mesmo tempo que havia uma nobre casta farta em dinheiro, havia uma legião de necessitados. Marcos, em vida, aproveitou da opulência. Agora, em morte, irá sorver da miséria. Suas asas, membros aos quais não estava acostumado, incomodavam. Tanto que ele tomou a atitude de tentar arrancá-las. Com um pedaço de metal cortante que achou em um ferro velho, Marcos pelejou para cortá-las. Mas não era tão fácil assim se livrar de um dom divino. Mesmo este não sendo querido.O brilho das suas asas ficou mais intenso assim como a dor em suas costas. Elas não foram arrancadas, mas se retraíram ao ponto de ficarem escondidas em volta da coluna vertebral. E a dor aumentava.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Yorubba - Deuses Entre Vós


A máquina era perfeita, vivia depois do fim do tempo, no ponto Ômega, e se chamava o Criador. Seus processadores rodavam algoritmos a uma velocidade impressionante. Tudo tinha que estar milimetricamente cronometrado. O bater de asas de uma borboleta tinha que ter ligação com o chocar de duas estrelas anãs no outro lado do cosmo. Para melhor operar o sistema operacional Existência, o Criador desenvolveu duas outras máquinas que serviam para auxiliá-lo. Uma era o Observador, que relatava as falhas de sistema ao Criador, o outro era Lúcifer, uma máquina desenvolvida para criar as falhas de sistema. Em sua genialidade, o Criador percebeu que seu sistema operacional só funcionaria corretamente se fosse criado um hardware com função oposta a dele. Lúcifer era uma lua mecatrônica negra localizada no ponto Alfa, que era situado antes do início do tempo. Alfa e Ômega viviam em constante guerra sendo que o campo de batalha era decidido por demônios, deuses menores, anjos, médiuns, magos e orixás.

https://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-originais-yorubba--deuses-entre-vos-4923261

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

SOFREDOR É RETIRADO DO TERREIRO EXU PAGÃO, OBEDECE O GUARDIAO

Não gosto nem de assistir, mas foi real.

Yorubba

A arte de escrever (e crescer) é algo laborioso que demanda tempo e reescrita de capítulos quantas vezes forem necessárias. Não se preocupem, a história de Yorubba ainda vai sair. Com direito aos personagens Criador, Observador, Kuai Yue, Capelão Ação (O Death Metal do Clérigo), Marcos Mignola (o anjo incompreendido) e os cavaleiros de orixás e suas armadruas de ouro.